• Uma das várias relações que a Catedral de Évora manteve com as outras instituições religiosas da cidade foi de natureza musical. Neste contexto encontramos o mosteiro feminino cisterciense de S. Bento de Cástris e as suas relações com a cidade, em particular, com a Catedral onde as primeiras referências datam do tempo do mestre de capela Mateus d’Aranda. No século XVII ainda encontramos vários músicos da Catedral com relações com o mosteiro. O presente estudo centra-se num em particular, António Rodrigues Vilalva, cuja irmã Isabel Baptista entrou para o mosteiro de S. Bento de Cástris por via de ser cantora e harpista. O estudo pretende reconstruir a carreira musical de Vilalva e as possíveis influências na educação musical da irmã que, apesar da inexistência de referências detalhadas, poderá ser visto da perspectiva de outros contextos semelhantes, nomeadamente da cidade espanhola de Toledo onde existiram as mesmas relações entre mestres da Catedral e conventos femininos.