• Referindo-se a 1647, Manuel Luís Maldonado intitulou o capítulo dedicado a esse ano na sua Fenix Angrence como “da fome e dos terramotos”. A partir deste relato percebe-se que este foi um ano difícil para as gentes da ilha açoriana da Terceira e, em particular, da cidade de Angra. Foram realizadas muitas procissões pelos frades franciscanos para apaziguar a ira de Deus para com o povo da ilha. Esse ano foi também uma altura de seca durante a primavera e o trigo foi escasso, promovendo cerimónias religiosas que imploravam por chuva. Usando o relato de Maldonado como base, este estudo pretende reconstituir a possível paisagem sonora de Angra envolvendo estes eventos religiosos que, para além da sua religiosidade, eram também momentos cívicos e sociais na vida da cidade.