About

Member of Education, Information and Communication Vice Presidency team of Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Member of Fiocruz Open Science Working Group, collaborating on the collective formulation and execution of Fiocruz’s institutional strategy for its open science policy, with focus on open data. Member of Interdisciplinary Laboratoty on Information and Knowledge. Participant in the Open Leaders program of the Mozilla Foundation (2019).

Cover photo by
Profile photo by Medialab Prado Flickr cc-by-sa

Education

PhD in Information Science (PPGCI, Ibict – UFRJ)
Master in Information Science (PPGCI, Ibict – UFRJ)
Bachelor Degree in Social Communication (Eco, UFRJ)

Other Publications

CLINIO, A. Ciência Aberta na América Latina: duas perspectivas em disputa. Transinformação [online]. 2019, vol.31 [viewed 3 December 2019]. ISSN 0103-3786. DOI: 10.1590/238180889201931e190028. Available from: http://ref.scielo.org/ppvmqr

Resumo: O artigo pretende fomentar debates sobre o desenvolvimento da Ciência Aberta na América Latina. Para tanto, apresenta, na primeira seção, elementos para subsidiar uma análise de conjuntura sobre esse movimento internacional, buscando identificar, através de discursos e ações dos atores que estão conduzindo este debate, suas motivações e direções. Posteriormente, na segunda seção, serão apresentadas perspectivas latino-americanas a partir da experiência da rede de pesquisa Open and Collaborative Science in Development Network e de debates para elaboração da Declaração do Panamá sobre Ciência Aberta por ativistas e pesquisadores em novembro de 2018. As considerações finais indicam a existência de, pelo menos, duas perspectivas em disputa: a primeira fomenta uma visão utilitarista da ciência em termos de maior eficácia, produtividade e competitividade; a segunda se volta para temas como garantia de direitos, justiça cognitiva e justiça social. Esse debate dialoga estreitamente com o fenômeno do capitalismo acadêmico e com a transição das universidades de seu papel de agente de mudança social, a partir da produção do conhecimento como bem comum para um empreendimento orientado ao mercado e à ideia de eficiência.

Palavras-chave América Latina; Análise de conjuntura; Ciência Aberta

Abstract: The article aims to foster consistent debates about Open Science development in Latin America. Thus, it presents, in the first section, elements to support a conjuncture analysis about this international movement, seeking to identify through discourses and actions of the agents who are conducting this debate, their motivations and directions. Subsequently, in the second section, this study presents Latin American perspectives from the experience of the Open and Collaborative Science Research Network in Development Network and the discussions on the elaboration of the Panama Declaration on Open Science by activists and researchers in November 2018. In the concluding remarks, indicates the existence of, at least, two Open Science perspectives in dispute. The first fosters a utilitarian view of science in terms of greater effectiveness, productivity and competitiveness while the second ones focuses on issues such as the guarantee of rights, cognitive justice and social justice. This debate dialogues closely with the phenomenon of academic capitalism and the transition of universities from knowledge production institutions for the common good to a market-oriented enterprise and the idea of efficiency.

Keywords Latin America; Conjuncture analysis; Open Science

CLINIO, A. Que Ciência Aberta precisa a América Latina? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2019 [viewed 04 December 2019]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2019/12/03/que-ciencia-aberta-precisa-a-america-latina/

O caderno aberto de Jean-Claude Bradley In: SHINTAKU, M. Sales, L (Org). Ciência Aberta para editores científicos. Botucatu, SP, ABEC, 2019, p. 67-72.

Beyond the Dichotomy between Natural and Knowledge Commons Reflections on the IAD Framework from the Ubatuba Open Science Project. in: Connecting the Knowledge Commons — From Projects to Sustainable Infrastructure : The 22nd International Conference on Electronic Publishing – Revised Selected Papers. Nouvelle édition [en ligne]. Marseille : OpenEdition Press, 2019 (généré le 04 juin 2019). Disponible sur Internet : <http://books.openedition.org/oep/8999&gt;. ISBN : 9791036538025. DOI : 10.4000/books.oep.8999.

Abstract: The paper presents a critical analysis of the possibilities and limits of the Institutional Analysis and Development (IAD) framework, proposed by Elinor Ostrom and team, specially addressing the mutual relations between natural and knowledge commons. It results from an action research project on the role of open science (OS) in development, carried out in the municipality of Ubatuba, on the North Coast of the State of São Paulo, Brazil, in 2015-2017. The work involved: systematizing the literature on the IAD framework; mapping and selecting literature representative of other theoretical and conceptual approaches; critically using and adapting the framework to the case studied. The project provided the opportunity to observe how these dynamics take place in a relatively small-scale (while heavily interconnected) context. While the IAD framework helped us to analyze the institutional, political, and governance issues affecting knowledge production and circulation, we observed the higher complexity of our action arena, shedding light on the fact that natural and knowledge commons are the two dimensions of the same “commoning” process.

Keywords: Commons, Open Science, Institutional Analysis and Development, Ubatuba, Brazil
———————
Beyond the Dichotomy between Natural and Knowledge Commons: Reflections on the IAD Framework from the Ubatuba Open Science Project. In: 22nd International Conference on Electronic Publishing, 2018, Toronto. 22nd International Conference on Electronic Publishing, 2018.
———————
Cadernos abertos de laboratório e publicações líquidas: novas tecnologias literárias para uma Ciência AbertaReciis – Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde. 2017 nov., v. 11 (sup)
Resumo: Apresenta resultados de pesquisa sobre o conceito e práticas de caderno aberto de laboratório, inovação criada no âmbito do movimento contemporâneo por uma Ciência Aberta. O arcabouço teórico adota a noção de cultura epistêmica e a perspectiva das “três tecnologias” de Shapin e Shaffer enquanto, no campo empírico, adentramos o “laboratório aberto” através de pesquisa documental. Identificamos que essa inovação não é uma melhoria incremental, mas uma nova “tecnologia literária” para um novo modo de produzir e comunicar ciência. Ela dialoga com a noção de publicação líquida e é um elemento estratégico de um ecossistema de colaboração aberta que pretende, entre outras coisas, substituir uma “ciência baseada na confiança” por uma ciência fundamentada na transparência e na proveniência dos dados. Articulada com novas tecnologias materiais e sociais, fomenta uma cultura epistêmica que chamamos de matter of proof por valorizar, sobretudo, a habilidade dos cientistas em documentar adequadamente os experimentos que subsidiam suas afirmações.
Palavras-chave: Open notebook science; caderno aberto de laboratório; Ciência Aberta, Jean-Claude Bradley; cultura epistêmica; matter of proof; publicação líquida
———————
Open notebook science as an emerging epistemic culture within the Open Science movementRevue française en sciences de l’information et de la communication, v.11, 2017
Abstract: The paper addresses the concepts and practices of “open notebook science” (Bradley, 2006) as an innovation within the contemporary Open Science movement. Our research points out that open notebook science is not an incremental improvement, but it is a new “literary technology” (Shapin, Shaffer, 1985) and main element of a complex open collaboration ecosystem that fosters a new epistemic culture (Knorr-Cetina, 1999). This innovation aimed to move from a “science based on trust” to a science based on transparency and data provenance – a shift that recognizes the ability of scientists in performing experiments, but mostly, values their capacity of documenting properly what they say they have done. The theoretical framework was built with the notion of epistemic culture (Knorr-Cetina, 1999) and the “three technologies” perspective used by Shapin and Shaffer (1985) to describe the construction by natural philosophers of “matter of fact” as “variety of knowledge” so powerful that became synonymous of science itself. Empirically, we entered the “open lab” through a netnography that led us to understand that the epistemic culture being engendered by its practitioners is based on a “matter of proof”.
Keywords: Open notebook science, Open Science, Jean-Claude Bradley, epistemic culture, matter of proof
———————
CLINIO, Anne. Novos cadernos de laboratório e novas culturas epistêmicas: entre a política – Orientadora: Sarita Albagli. Coorientador: Antonio Lafuente. 2016. 240f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade  Federal do Rio de Janeiro, Escola de Comunicação, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Rio de Janeiro, 2016.

Descrevemos e analisamos novas culturas epistêmicas (KNORR-CETINA, 1999) que estão sendo engendradas por dois modos de ciência emergentes – a Ciência Aberta e a Ciência Comum – e que, apesar de inúmeras diferenças, convergem na crítica à noção de fato científico e na estratégia de transformar o caderno de laboratório em sua principal tecnologia literária. Adotamos a noção de cultura epistêmica para operacionalizar nossa análise sobre estratégias para configuração de objetos, tecnologias e sujeitos epistêmicos por sistemas de produção de conhecimento que, por sua vez, criam efeitos de verdade. Para tal, nos inspiramos nas etnografias de laboratório e na abordagem das “três tecnologias” de Shapin e Shaffer (1985) para explicar como os filósofos naturais do século XVII construíram a noção de fato científico (matter of fact) como uma “variedade de conhecimento” tão sólida que se tornou sinônimo de ciência. De modo análogo, procuramos compreender como os modos de ciência emergentes pretendem legitimar novas maneiras de produzir conhecimento e disputar a própria noção de ciência. No movimento contemporâneo da Ciência Aberta, abordamos o open notebook science, tal como proposto em 2006 pelo professor e pesquisador em Química Jean-Claude Bradley como “uma maneira de fazer ciência na qual – da melhor maneira possível – você torna toda a sua pesquisa livre e acessível ao público em tempo real” (BRADLEY, set 2010). Adentramos seu “laboratório aberto” através de uma pesquisa documental que identificou o caderno aberto como principal elemento de um complexo ecossistema de colaboração aberta. Articulada com tecnologias sociais e materiais, esta tecnologia literária pretende substituir uma ciência baseada na confiança por outra fundamentada na transparência e na proveniência dos dados. Sua cultura epistêmica não impõe a obtenção de um fato científico como condição sine qua non para a comunicação de conhecimento novo, mas valoriza, sobretudo, o registro adequado da prática experimental seja qual for seu resultado – o que chamamos de matter of proof pela ênfase na documentação. Já na Ciência Comum (LAFUENTE, ESTALELLA, 2015),  abordamos o caderno aberto de laboratório cidadão (CALC) prototipado por Antonio Lafuente e práticas de documentação de pesquisadoras-mediadoras do Medialab Prado, instituição pública madrilenha se autodenomina “laboratório cidadão”. Aqui, a crítica à noção de fato científico dialoga com o composicionismo latouriano ao compreendê-lo como um (importante) subconjunto da realidade que, no entanto, não deve se sobrepor aos debates políticos, mas conectar-se às “questões de interesse” (matter of concern). Nesta perspectiva, a modernização epistêmica fomentaria um “terceiro setor do conhecimento” que disputaria a governança antecipatória de assuntos tecnocientíficos (LAFUENTE, 2007). Nossa observação participante identificou que as práticas atuais de documentação tendem a reproduzir a lógica do campo da produção cultural que fomenta novos imaginários políticos, mas não inicia o ciclo de acumulação de conhecimento que o transformaria os laboratórios cidadãos em centros de cálculo (LATOUR, 2000). Os promotores de atividades tendem a reduzir a comunicação à divulgação de atividades para atrair participantes em potencial ou a prestação de contas, comprovando a realização de atividades.

Palavras-chave: Cultura Epistêmica. Caderno de Laboratório. Open Notebook Science. Caderno Aberto de Laboratório Cidadão. Ciência Aberta. Ciência Comum

———————
Por que open notebook science? Uma aproximação às ideias de Jean-Claude Bradley. Capítulo do livro aberto “Ciência aberta, questões abertas
———————
Why open notebook science? An approach to Jean-Claude Bradley´s ideas. Book chapter “Open science, open issues”
———————
Ciência Aberta: correntes interpretativas e tipos de açãoLiinc em Revista, Rio de Janeiro, v.10, n.2, p. 434-450, novembro 2014
Resumo: Este artigo apresenta uma sistematização das abordagens e correntes interpretativas sobre ciência aberta, bem como uma categorização e exemplos de iniciativas que ajudam a ilustrar e a clarificar tais abordagens. Para tanto, foram identificadas e sistematizadas definições, posições em debate e exemplos de iniciativas em cada uma das vertentes apresentadas.
Palavras-chave: Ciência Aberta; Acesso Aberto; Educação Aberta; Ciência Cidadã; Cadernos Científicos Abertos; Hardware Aberto.
———————
Aesthetic disruptions – mobile audiovisual experiences from urban peripheries of Rio de Janeiro – Ubiquity: The Journal of Pervasive Media, v. 2, p. 7-19, 2013.

Abstract: Based on historical and contemporary intertwinings between aesthetics, politics and culture, this paper focuses on the dissemination of audiovisual mobile technologies, and the ways they incorporate – throught “do it yourself ” practices -, in the daily life of individuals and groups previously excluded from broader cultural consumption/production. This new scenario, – that occurs mainly due to the spread and embeddedness of mobile gadgets in our routines and the emergence of a networked culture that abolishes dicotomical positions such as transmittion/reception or activity/passivity – opens detours that, from Foucault´s concept of heterotopia, can be considered as movements where cultural placements are simultaneously represented, contested and inverted. Our aim is to reflect on how audiovisual creation becomes, with the propagation of mobile devices, tactile material for anyone in urban slums and peripheral areas. We approach the (self)creation through audiovisual production as a dissensual, aesthetic experience that disturbs the frameworks of our sensorial world, that disorganizes ourselves and what, whithin a given culture, is possible for us to see and think, and enables (counter) cultures to emerge with new combinations. Ignoring platonic regulation and sociological fatalism that claim that poor and working people should forever think, feel and act according to what is expected from their positions, in these experiences it is possible to be a bricklayer, a housemaid, a student etc. and have the subtle sensibility to “write with light” with a camera (from a cellphone or other gadget). Such processes express a disidentification between a “place” (ethos, habitus) and a horizon of affects. It is the equal capacity of anyone to experience any kind of life by exceeding the limits of bodies, perceptions and affects.
———————
Apropriação social da Internet em ações de mídias táticas: dinâmicas de informação e comunicaçãoAnais do XIV Encontro Nacional de Pesquisadores em Ciência da Informação, 2013.

Resumo: O artigo pretende contribuir para o debate o sobre inovações no campo da ação política, ante as novas dinâmicas informacionais e comunicacionais no contexto dos ambientes de interação digital, particularmente a Internet, a partir do conceito de “mídia tática”. Para tal, analisa algumas “ações consagradas” de mídias táticas, por meio de pesquisa  bibliográfica e documental e análise de registros na própria Internet em sites, blogs, wikis e listas de discussão. O estudo indica que as táticas de ativismo político e resistência na Internet não são pura reação negativa, mas uma força positiva e criadora que atua no campo simbólico, recorrendo e inovando nos recursos informacionais da Internet para expressão e disputa de novas subjetividades, formas de vida, hábitos, imaginação e desejos, mobilizando os dispositivos técnicos informacionais de maneira lúdica, criativa, alegre, zombeteira, criando inovações, apropriando-se e reprogramando códigos.

Palavras chave: Apropriação Social da Internet. Mídia Tática. Ativismo On-Line. Hacktivismo. Ciberterrorismo
———————
A ação política no cotidiano: a mídia tática como conceito operacional para pesquisas em mídia, cotidiano e políticaRevista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano, Dossiê IV Seminário Mídia e Cotidiano n.1. janeiro/abril 2013

Resumo: O artigo apresenta a ideia de mídia tática, formulada por Lovink e Garcia (1997), como conceito operacional para pesquisas que articulam campos como mídia, cotidiano e ação política. O trabalho explora as definições, controvérsias, fragilidades e potencialidades do conceito, aqui compreendido como uma tentativa de nomear formas de ação política da chamada micropolítica.

Palavras-chaves: ação política; micropolítica; mídia tática; Brasil

Projects

Anne Clinio

Profile picture of Anne Clinio

@anneclinio

active 8 months, 3 weeks ago